segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Preços em Cuba e como funciona o CUC, a moeda para turismo


Cuba opera com duas moedas oficiais, ambas são pesos cubanos, mas um conversível (o CUC) para os turistas e o outro para os cubanos (o CUP, mas que eles chamam de apenas peso ou peso nacional).
Em todas as conversas e nas taxas oficiais, os cubanos equiparam o CUC ao dólar — e no cartão de crédito a equivalência foi também de um para um. Contudo, nas cadenas, como são chamadas as casas de câmbio, a cotação não era bem esta. As que vi (e elas não variavam muito) eram de 0,87 dólar americano e 1,04 de euro. Também são aceitos dólar canadense (0,67) e libra (1,40). O real não vale.

Tudo vendido para turistas está em CUC. Atenção sempre para checar se recebe o troco em CUC, pois o peso cubano vale  bem menos. Um CUC compra 25 CUPs.

O caro e barato variam de pessoa para pessoa. Então, listo abaixo os preços encontrados durante a estadia em Cuba, entre dezembro/2015 e janeiro/2016. Em Trinidad, as coisas são mais baratas que em Havana. Algo que gostei é que os preços dos charutos e garrafas de rum para turistas são controlados pelo governo, assim, não existe uma diferença muito grande de valores — exceto no aeroporto, onde tudo é absurdamente mais caro. Os charutos (e até para evitar falsificados) compramos no hotel, que vendia por quantia similar à das casas da cidade.

Comes e bebes

  • Mojito: 2,50 a 5
  • Daiquiri no Floridita: 6
  • Doses de rum: de 2 até uns 20, dependendo da qualidade do rum e de onde esteja tomando
  • Garrafa de água: 1 (500 ml) a 2 (1,5 litro)
  • Prato/refeição: 5,50 a 15. 
    • Em Havana Vieja, muitos locais ofereciam menu do dia, que inclui refeição e bebida, por a partir de uns 5,50 CUCs. Comemos no La Marina, a sugestão do chef que era arroz de mariscos, parecido com paella, e vinha com um suco de limão por 6,70 CUCs. Era individual, mas comemos as duas este prato e uma entrada de viandas fritas. 
    • Em outra noite, jantamos em um restaurante bem gostoso chamado El Palio, no bairro Miramar, que oferecia combinados de entrada, prato principal, sobremesa, bebida nacional e café, com preços de iam de 21 a 26 CUCs, sendo o mais caro de lagosta. Deliciosa e enorme, por sinal.
    • Fomos à Bodeguita del Medio em Trinidad, já imaginando a lotação máxima da mesma (e original) em Havana. Os pratos em Trinidad custavam na faixa dos 8 CUCs e o mojito, 4 CUCs.
Conheça mais de Cuba: leia os outros posts deste país incrível


Táxi 
Os táxis não têm taxímetro, então, antes de entrar, se deve acertar o preço até o destino — e, normalmente, negociar o valor. Sempre bom perguntar no hotel quanto custam as corridas para ter noção se está pagando muito. Como em muitas cidades, os taxistas adoram explorar os turistas, principalmente, se partir de ou ir para algum lugar mais caro.
  • Em Trinidad, só tomamos táxi do hotel na Península Ancón / Costa Sur até a cidade: 8
  • Em Havana:
    • Hotel em Miramar até centro histórico: 15
    • Dentro de Miramar, curta distância: 5 - 7
    • Hotel em Miramar até Vedado: 7 - 10
Passeios em Havana
  • Ônibus turístico: são 3 trajetos, que custam 10, 5 e 1 cada e por pessoa
  • Museu da revolução: 8 CUCs para estrangeiros e (atentem-se para enorme diferença) 8 CUPs para nacionais. 
  • Museu do rum: 7 por pessoa e ganha uma dose (não fiz a visita guiada, porque o local é réplica e não a fábrica)
  • Fortaleza de San Carlos de la Cabaña: 8 — para ver o cañonazo na parte mais alta, paga-se 1 CUC a mais e ganha-se um drink. Vale a pena
  • Jazz Café: consumação de 10 por pessoa (no bar, drinks nacionais custam 2,50)

Outros passeios 
  • Aluguel de pedalinho em Playa Ancón: 5 por hora (2 pessoas)
  • No hotel em Cayo Santa Maria, as agências oferecem diversos passeios, que custam a partir de uns 34 por pessoa

Preços em CUCs, averiguados entre dezembro/2015 e janeiro/2016. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...